terça-feira, 25 de agosto de 2009

Para ti

Sinceramente nunca pensei escrever sobre isto. Por todos os motivos e mais algum: era algo muito pessoal e, apesar de contar aqui algumas coisas sobre mim, nunca expus aqui as minhas relações (que a bem dizer da verdade não foram assim muitas); não me sentia preparada para falar com ninguém sobre o assunto, quanto mais escrever; e sobretudo não queria falar, acho que era uma forma de defesa.
Subitamente as coisas mudaram, e sinto necessidade de o fazer, até para encerrar este capitulo. Na impossibilidade de o fazer contigo, uma vez que neste momento és incapaz de compreender alguma coisa que eu diga (ou se calhar sempre foste, eu é que não via), decidi fazê-lo aqui. Sei que não lês este cantinho, mas se o destino quiser algum dia alguém te mostrará isto, se não se proporcionar, pelo menos fica o registo.
Sim, porque apesar de tudo foste importante... não sei como nem porquê, mas leváste-me a fazer coisas que jamais me imaginaria a fazer... e apesar de tudo não me arrependo, da minha parte foi tudo honesto e sincero. Não vou por em causa se da tua foi ou não, quero acreditar que sim... nem tu fingias tão bem.
Também não quero esquecer, passámos muito bons momentos que vou guardar para sempre, e contigo aprendi muita coisa.
Bem sei que não foste o único culpado pelas coisas terem terminado, eu também tive a minha quota parte de responsabilidade... Acabou porque tinha que ser.
O que me magoa não é o facto de ter terminado, magoa-me sim o depois, as tuas atitudes que jamais vou conseguir compreender (e olha que me tenho esforçado bastante). Não percebo o porquê de tanta exibição e provocação, para me atingir?! Já me devias conhecer e saber que enquanto achei que valiamos a pena lutei, a partir do momento em que deixei de lutar já nada do que fizesses me atingia. Podias aparecer com a Claudia Schiffer que não me atingias. Não era mais fácil termos ficado amigos, ou pelo menos com uma relação cordial? Ou não és capaz de fazer isso? Faz-te assim tanta confusão que eu tenha dado a volta por cima? Tudo o que fiz foi de uma forma honesta: afastei-me, tive o tempo que precisava e quando estava preparada voltei.
Apesar de ter reduzido as minhas saídas, não vou deixar de frequentar os sitios que frequentávamos, e o que agradeço é que, já que não és capaz de me encarar com naturalidade, pelo menos faz de conta que eu não estou ali... não há paciência para as tuas garotisses, sim foi naquilo que te transformaste: um garoto com a avó atrás.
Como já referi, não sei se algum dia vais ler isto, mas era isto que gostava de te dizer se fosse possível falarmos.
De qualquer forma desejo-te toda a felicidade do mundo e que consigas concretizar todos os teus objectivos.
Até um dia:)

2 comentários:

  1. Post digno de alguém muito adulto e que tem tudo mais do que resolvido na cabeça!
    E mesmo que no teu coração não se passe o mesmo consegues avançar porque, como dizes, fostes honesta.
    Que a felicidade que desejas chegue, para ti, em dobro porque mereces :o)
    Beijos
    Tété & Xavier

    ResponderEliminar
  2. às vezes basta dizermos umas palavras pa nos sentirmos melhor!
    Bjocas

    ResponderEliminar