segunda-feira, 6 de maio de 2013

As minhas histórias #2

O dia em que eu ia batendo num idoso (ou como o sol faz mal à cabeça)

Corria o ano de 2005 quando duas irmãs escolheram como destino de férias o Algarve, mais concretamente Albufeira.
Fizeram a viagem desde Aveiro de comboio, apanhando depois um táxi que as levaria até ao hotel.
Acontece que, a estação mais próxima de Albufeira era uma espécie de deserto, não havendo táxis disponíveis. Isto obrigou-as a ficar à espera, numa fila enorme e debaixo de um calor abrasador.
Atrás delas na fila estavam duas idosas e havia ainda um idoso, que não se encontrava na dita fila. Quando confrontado pelas idosas pelo motivo porque não estava na fila, respondeu-lhes, arrogantemente, que não precisava, uma vez que o hotel o vinha buscar.
Os táxis eram escassos e as idosas começaram a sentir-se mal com o calor. As irmãs, imaginando-se assim dali por muitos anos, decidiram dar-lhes a sua vez, deixando-as muito comovidas.
Entretanto chegou uma senhora de aspecto duvidoso num minúsculo Fia Panda, oferecendo boleia e quarto a quem quisesse. As irmãs, que até gostam de aventura mas com limites, recusaram a oferta e continuaram à espera do seu táxi.
Passado aquilo que lhes pareceu uma eternidade, eis que chega o tão ansiado táxi, iniciando-se aqui uma verdadeira cena de filme.
No momento em que elas iam em direcção ao táxi  o idoso, que supostamente estava à espera do transporte do hotel, antecipou-se e foi em direcção ao mesmo. A irmã mais velha desatou a correr e, educadamente, tentou explicar-lhe que ele não estava na fila e que aquele táxi era para elas.
Ele decidiu fazer ouvidos de mercador e entrou para o carro. Ela, apesar de ser uma pessoa bastante calma, estava com duas horas de sol na cabeça e isso fez com que perdesse um bocadinho a noção, agarrando o idoso por um braço e tirando-o do táxi à força. A irmã mais nova nem queria acreditar no que os seus olhos viam, até porque nunca tinha visto a outra com este tipo de comportamento.
O taxista, depois de ter assistido àquilo e ter visto a mala largada pela irmã neste aceso de fúria bater-lhe no carro, só dizia que não tinha nada a ver com aquilo e para eles se entenderem.
Rapidamente vieram as restantes pessoas da fila em auxilio das irmãs e estas conseguiram ficar com o táxi  indo o idoso para o fim da fila.
Mora da História: O Sol faz muito mal à cabeça, mas o homem estava a pedi-las!

Sem comentários:

Enviar um comentário